Neuromarketing como salvar as empresas

Como o Neuromarketing pode ser a solução para a sua empresa driblar a crise

Neuromarketing é a aplicação da neurociência, ele é a junção das palavras neurologia e marketing. Você já pensou em utilizá-lo para driblar a crise? O Neuromarketing é onde o marketing e a ciência se encontram, e pode ser essa a solução que você estava procurando.

Em um mercado que está cada vez mais competitivo, saber de fato quais são os reais motivos que levam o seu público a adquirir seus produtos ou contratar seus serviços é fundamental. Nesse sentido, o ainda pouco desbravado neuromarketing se torna uma poderosa ferramenta para compreender o comportamento de seus consumidores.

É importante destacar que o neuromarketing é uma arte, pois encontra soluções criativas de se conectar profundamente com seus clientes e é ciência porque tem o foco no resultado. Tudo deve ser minuciosamente testado, medido e analisado.

Com certeza você já parou para pensar por que os consumidores compram o que compram? E por que algumas campanhas publicitárias atraem mais do que as outras, não é? É para isso que o neuromarketing existe. Contrariando as opiniões banais e os “achismos” ele busca entender a jornada do consumidor como um todo e dominá-lo pode ser a solução para sua empresa se desviar da crise.

Quer saber um pouco mais sobre o neuromarketing e como aplicá-lo ao seu negócio? Então, continue lendo o artigo até o final!

O que é Neuromarketing?

Como o neuromarketing pode ajudar empresas

Neuromarketing é a área onde a ciência e o marketing se encontram, com o objetivo principal de compreender o que faz um consumidor preferir uma marca, ou um produto, e se tornar um cliente. Ou seja, é o estudo profundo sobre os fatores que influenciam o consumidor na decisão de uma compra. 

Criado pelo pesquisador de Harvard formado em medicina, Gerald Zaltman, o termo se tornou conhecido no início dos anos 90 quando Zaltman decidiu mapear atividades do cérebro humano ao ser exposto a estímulos do marketing. 

Durante o estudo, o pesquisador foi capaz de estimar o real impacto e influência causados no cérebro e, portanto, no comportamento do consumidor. 

Então, em 2000, o neuromarketing foi registrado por Zaltman como uma ferramenta de marketing, e até hoje seus métodos são replicados para uma melhor compreensão do que de fato acontece no subconsciente de alguém quando este decide comprar um produto e não o outro. 

Entenda melhor o conceito do neuromarketing por Zaltman:

Segundo ele, o processo de tomada de decisões não acontece de forma racional, consciente e lógica. Ou seja, quem controla nossas decisões é o subconsciente, quando estímulos externos ativam partes específicas do cérebro. 

Como nosso cérebro funciona?

como o neuromarketing funciona

Basicamente, o cérebro pode ser dividido em 3 partes:

1. Neocórtex

Parte que controla o raciocínio lógico e o lado social (a que normalmente nós acreditamos ser a responsável pelas nossas decisões, mas não é). Essa estrutura também é encarregada da nossa criatividade.

   2. Cérebro límbico

Responsável pelo armazenamento de dados, e ativado por sensações envolvendo os 5 sentidos, é onde as emoções mais complexas são processadas.

  3. Cérebro reptiliano

Onde mora a nossa sobrevivência, é a parte do nosso cérebro que controla movimentos como respiração e batimentos cardíacos, sendo ativada por emoções primitivas como o medo, fome e raiva (daí o nome “reptiliano”).

A “magia” do neuromarketing funciona porque estímulos externos como sons, cores, cheiros, e até mesmo outras pessoas, irão ativar (mesmo que sem a nossa consciência), os sistemas reptiliano e límbico.

E uma vez que uma decisão está tomada nesses níveis, o neocórtex irá racionalizar a decisão já tomada, para que tenhamos a sensação de que nossas escolhas são lógicas, e que as fizemos por nós mesmos, sem qualquer outra influência além da nossa própria vontade. 

A Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS) realizou um estudo que mostrou que o ato de escolher divide-se em três partes:

1- Seu cérebro decide o que você irá fazer (o subconsciente);

2- Então, a decisão aparece na sua consciência (neocórtex), transmitindo a sensação de que essa decisão é racional;

3- Você age de acordo com a sua decisão.

Para que você entenda porque funcionamos dessa maneira, imagine isso:

E se tivéssemos que conscientemente pensar toda vez que precisássemos fazer o coração bater? Ou para fazer nossas células se dividirem? É uma questão de sobrevivência. Existe um infinito dentro do nosso cérebro. Por isso, é melhor para nós que algumas coisas mantenham-se subconscientes. 

E, através do neuromarketing, é possível usar estratégias que acionam justamente essas áreas que se relacionam às emoções mais primitivas, o cérebro límbico e reptiliano, para incentivar o seu consumidor a comprar algum produto. 

Aplicando o conceito na prática

Para que você entenda como aplicar o neuromarketing na prática é preciso compreender como acontece o processo de decisão de compra. Na maior parte das vezes ele ocorre de forma subconsciente. Nesse sentido, para se ter uma resposta absoluta não se pode simplesmente questionar se a pessoa gosta ou não de um determinado produto.

Os métodos utilizados no neuromarketing derivam da neurologia, por isso os pesquisadores utilizam a ressonância e outros técnicas de medição de atividade cerebral para que se tenha conhecimento profundo do cérebro humano e então medir de forma precisa a resposta.

Pense, quando você está em dúvida sobre qual cor a embalagem de seu produto deve ser, ao apresentar para alguém as opções com a aplicação do neuromarketing, você terá mais do que uma resposta influenciada pelos gostos e opiniões pessoais.

Ao observar as atividades cerebrais é possível entender de que forma o subconsciente de cada um reage diante das mais diversas opções. Sendo assim, fica claro quais os impactos de cada decisão para te direcionar em qual caminho seguir.

Leia também:

Persuasão e manipulação não são neuromarketing

Existe uma grande discussão sobre a ética do neuromarketing, pois é fácil confundir “persuadir” com “manipular”. Por isso, é importante lembrar que o verdadeiro objetivo do marketing não é apenas fazer grandes campanhas publicitárias para aumentar as vendas de um produto ou de determinado serviço. E sim, a combinação de um conjunto de estratégias em busca de agregar valor aos produtos, serviços, marcas e, cada vez mais importante hoje em dia, a relação entre a empresa e o cliente. 

Por esse motivo, o neuromarketing pode ser uma ferramenta tão importante na tarefa de facilitar esse objetivo. 

Entenda: o neuromarketing não é uma ciência de “manipulação” dos consumidores, é na verdade, uma ferramenta poderosa para compreendê-los e encontrar o caminho para que eles entendam quão relevante um produto ou serviço pode ser para eles. 

Como o Neuromarketing pode beneficiar seu negócio

o que é neuromarketing

 

Você já deve ter entendido o que é neuromarketing e como ele funciona na prática, agora chegou a hora de explicarmos quais são os benefícios que ele pode trazer para o seu negócio. Acompanhe:

#1 Você estará alinhado com as decisões do seu consumidor

Aplicar o neuromarketing pode ser a potencialização de resultados que o seu negócio precisava. Quando você entende o quê e o porquê do consumidor fechar uma compra, você consegue realizar ações coordenadas com essas motivações.

#2 Seus produtos serão desenvolvidos para o público certo

Não é o suficiente apenas criar um produto inovador se ele não será inovador para a sua persona. É necessário também entender o que ela espera do produto (ou qual tipo de produto pode fazer com que seu subconsciente tome a decisão de comprar).

#3 Sua experiência do consumidor será aprimorada

Ao usar o neuromarketing você consegue perceber qual tipo de formato gera mais reações positivas que outras sobre o seu consumidor. Se para a sua persona os vídeos são mais agradáveis, por que insistir nas imagens

#4 Criará campanhas publicitárias mais efetivas

Mesmo que seja subentendido, o consumidor se sente mais atraído por um tipo específico de campanha, e a vantagem do neuromarketing é conseguir obter informações como essas, e então usá-las a seu favor.

Vivemos na era do consumidor 4.0, e cada dia mais o consumidor está mais exigente e melhor informado, dando extrema atenção à forma como é tratado pelas empresas. Através do neuromarketing, é mais fácil criar uma experiência positiva para o cliente, gerando novas oportunidades de negócio. 

O momento é difícil, e nunca foi tão competitivo. As técnicas de neuromarketing podem trazer benefícios imensamente significativos para a sua empresa, especialmente na sua relação com o consumidor. Também é importante lembrar que as técnicas devem ser usadas com responsabilidade e de forma estratégica. 

Não podemos negar que o neuromarketing é uma grande ferramenta para qualquer negócio. Mas, antes de usá-la é necessário ter um planejamento de marketing bem estruturado. Caso não saiba por onde começar para gerar uma experiência única para os seus clientes é só entrar em contato conosco.

 


Gostou do nosso conteùdo? Confira também:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *